Customização de raquetes: Balanceamento – Parte 2

Conforme prometido, estou trazendo a parte 2 do tópico de balanceamento de raquetes. Para quem chegou neste post agora, recomendo que leiam primeiro a parte 1, onde falei o que é balanceamento e como encontrá-lo.

Dando sequência ao tema, o foco será como modificar o balanceamento da sua raquete de tênis e quais as vantagens do processo. A customização de raquetes é um tema muito vasto e penso que quase todos os tipos de jogadores podem se beneficiar desse conhecimento. Uma coisa é básica, cada jogador é diferente, cada um tem suas medidas, seu estilo, seus golpes, então por que jogar com raquetes “padronizadas”?

O princípio básico para se customizar uma raquete de tênis é que você normalmente adiciona peso na raquete, infelizmente a margem para diminuir o peso de uma raquete de tênis é muito pequena. Dentre as possibilidades para diminuir o peso temos:

  • Utilizar um grip mais leve.
  • Não utilizar grip e utilizar apenas overgrip (normalmente utiliza-se dois overgrips).
  • Usar uma corda mais leve, sim existem cordas mais leves.
  • Retirar o bumper guard (proteção da cabeça) – eu não recomendo fazer isso.

Em relação às possibilidades existentes, penso que a mais viável é a de utilizar um grip mais leve, existem várias opções, mas um aviso: normalmente o grip mais leve é mais fino, então, cuidado com a espessura do cabo da raquete e com o conforto. Utilizar apenas dois overgrips é uma possibilidade, eu já fiz isso, mas devo falar que é bastante desconfortável, e as suas mãos vão pagar o preço. Utilizar cordas mais leves é uma alternativa muito boa, mas é apenas para ajustes bastante finos, coisas de uma ou duas gramas, portanto, é apenas para aquele ajuste final. Por fim, existe a opção de retirar o bumper guard – eu nunca vi um jogador fazer isso, apenas ouvi falar – mas é uma alternativa muito ruim, sabemos que raspar a raquete na quadra é normal, e sem a proteção a sua raquete fica exposta, portanto, não façam isso.

Deste modo, ressalto, as melhores raquetes para serem customizadas são as leves, pois temos maior margem para adicionar peso. É por esse motivo que a maioria das raquetes dos jogadores profissionais têm seu peso inicial abaixo dos padrões, sendo que cada profissional tem as suas preferências que levam ao peso, equilíbrio e swingweight (SW) desejado.

Normalmente adiciona-se peso nas raquetes com chumbo, ou outros elementos parecidos. Para facilitar a vida dos tenistas existem fitas específicas de chumbo ou tungstênio (difíceis de se achar no Brasil). Dentre as formas de se adicionar peso nas raquetes, as mais comuns são:

  • Adicionar chumbo ou tungstênio.
  • Utilizar um grip mais pesado.
  • Adicionar gel (ou similar) dentro do cabo da raquete.
  • Adicionar uma corda mais pesada.

Em relação ao grip, normalmente utiliza-se leather grip (grip de couro, aumenta o feel e diminui o conforto), mas pode-se também adicionar um grip sintético (mais pesado). Sempre uso e recomendo o grip de couro. Para adicionar gel dentro do cabo da raquete, recomendo que vocês procurem um especialista, pois é um processo sem volta que deve ser feito com o maior cuidado e conhecimento. E para a corda, é a mesma coisa da redução de peso, essa é uma alternativa para ajustes finos finais, não é uma opção para alterações grandes na raquete.

Sobre o chumbo, basicamente, podemos adicionar peso nos pólos (no topo da cabeça ou perto do buttcap) ou adicionar peso no centro da raquete (perto do coração).

Acrescentar peso no coração da raquete não altera muito o desempenho (da raquete), e normalmente essa customização é utilizada somente para ajustes de massa, então, o mais usual é adicionar peso nas posições 3h e 9h, nessa customização você aumenta o peso e altera pouco o SW, ganhando estabilidade. A sensação que se tem é que o sweetspot aumenta para os lados. Jogadores de estilo saque e voleio, flat hitters (jogadores que batem reto na bola) e duplistas utilizam bastante esta configuração. Se você não quiser alterar o equilíbrio da raquete, pode adicionar peso no topo do cabo da raquete, testando o equilíbrio conforme descrito na parte 1. Essa configuração é chamada de despolarização, pois estamos adicionando peso longe dos pólos. Como exemplos de jogadores que utilizam essa customização, podemos citar o argentino Juan Martín del Potro e o sérvio Novak Djokovic, outro jogador famoso que utilizava essa configuração é o americano Pete Sampras.

Raquete do Djokovic em 2011.
Raquete utilizada pelo sérvio Novak Djokovic em 2011.

200605racquet_lead_tapeParticularmente, não gosto muito de adicionar peso em 3h e 9h, como jogo basicamente no fundo da quadra, utilizando o spin para aumentar minha margem de segurança, prefiro adicionar peso na posição 12h e no buttcap, no que chamamos de polarização (adicionar peso nos pólos). Nessa configuração temos o maior aumento do SW com o menor acréscimo de peso possível. Assim, temos uma aumento na potência e no spin. Do mesmo modo, se você quiser manter o equilíbrio da raquete, deve contrabalancear adicionando peso no cabo da raquete, recomendo adicionar o mais próximo do buttcap possível, pois assim temos um melhor resultado.

Para vocês terem uma ideia, ao adicionar 1 grama na posição 12h da raquete (topo da cabeça) adicionamos aproximadamente 3,4 no SW da raquete, em contrapartida, ao se adicionar 1g nas posições 3h ou 9h temos um aumento de 1,6 no SW. O jogo atual é bastante voltado para o spin e potência, então, a customização mais usual entre os profissionais é a de polarizar a raquete, jogadores como o espanhol Rafael Nadal e os suiços Roger Federer e Stanilas Wawrinka costumam alterar as suas raquetes concentrando peso nos pólos.

Existe ainda um meio termo, que é adicionar peso as 2h e 10h ou até as 1h e 11h, nessas configurações, mistura-se os efeitos, e muitas vezes temos configurações finais mais harmônicas. Inclusive, muitas marcas fazem isso, elas lançam versões novas e adicionam peso em posições específicas e assim melhoram o desempenho de seus produtos, um exemplo clássico dessa tática é a linha Liquidmetal da Head, ou a Micro Core da Yonex.

Apenas reforçando, cada jogador é diferente do outro, então, minha recomendação é: Teste! Muitas vezes a configuração que funciona para um, não funciona para outro. Adicionar chumbo na raquete é bastante simples, uma dica que dou é testar antes de tirar a parte de baixo da fita e colar o chumbo na raquete. Explico: Com uma fita do tipo durex, você pode colar o chumbo por cima e alterar as posições, até encontrar uma posição ideal. Quando achar o local adequado, você tira a parte de baixo da fita e cola por definitivo.

Outro tipo de customização, bem mais fino e avançado, é o Match Racquets (igualar raquetes), esse é um processo que requer um conhecimento bastante aprofundado e devo dizer que a melhor coisa a se fazer é procurar um especialista, pois não se trata apenas de equilibrar os pesos e balanceamento, isso é fácil, aqui estamos falando de equilíbrio, peso e ainda o swingweight.

Finalmente, devo admitir que esse post ficou enorme, mas esse é um assunto apaixonante para mim e penso que poderia escrever textos intermináveis relacionados à customização de raquetes, então, tive que me policiar para escrever o mais objetivamente possível. Sendo assim, se alguém tiver alguma dúvida, por favor, use o campo de comentários ou envie um e-mail utilizando o campo contato. Vou tentar ajudar a todos da melhor maneira possível!

39 Comments

Deixe uma resposta

Translate »