Melhores golpes do circuito da ATP: Backhand de uma mão

Voltando a uma das séries que eu mais gosto, vou falar de um golpe que é cultuado por muitos, o backhand de uma mão, ou em inglês, one hand backhand (1hbh).

Depois de falar do excelente slice do Tommy Haas, neste texto falarei do melhor backhand de uma mão do circuíto da ATP. Após um período onde muitos “especialistas” terem decretado o fim do 1hbh no estilo de jogo moderno, alguns jogadores conseguiram adaptar este golpe ao nível de jogo atual. Contextualizando, com a evolução do jogo, atualmente se aplica muito mais spin na bola que há alguns anos atrás e, para que vocês tenham uma noção, estes são o spin médio de alguns jogadores:

  • Nadal: 3.200 r.p.m.
  • Federer: 2.700 r.p.m
  • Djokovic: 2.700 r.p.m.
  • Murray: 2.400 r.p.m.
  • Agassi: 1.900 r.p.m.
  • Sampras: 1.800 r.p.m.

Estes dados mostram o quando o jogo mudou, é só olhar os tops Agassi e Sampras e os jogadores de hoje. Atualmente se joga com muito spin, e isso dificulta a vida de quem tem o backhand de uma mão, você tem que pegar a bola na subida ou recuar muito, deixar ela cair e bater muito fora da quadra, fazendo muita força. Era esse o motivo da tão falada “morte do 1hbh”.

Mas aí chega um tal de Stanilas Wawrinka e ganha um Roland Garros em cima de um jogador com um sólido backhand de duas mãos, Novak Djokovic. Foi a redenção deste golpe, vocês não concordam comigo? Então olhem o que o suíço faz nas quadras:

Vocês já devem ter percebido qual o meu voto para o melhor backhand de uma mão do circuito, o nome da vez é Stanilas Wawrinka. Sim, atualmente temos alguns jogadores da #nextgenatp que têm um 1hbh fantástico, com maior evidência para o Dominic Thiem (nem tão novo assim com seus 24 anos), e uma das maiores esperanças dos amantes do backhand de uma mão o canadense Denis Shapovalov (18 anos).

O tênis atual é muito rápido, e podemos constatar algumas coisas entre os novos protagonistas do circuito da ATP que têm o 1hbh:

  1. Eles usam o golpe agressivamente, com muita potência e topspin.
  2. São jogadores que pegam a bola na subida e aproveitam o peso da bola para “otimizar” o seus golpes.
  3. Não são jogadores trocadores de bola, mesmo sendo regulares, são jogadores agressivos que vão para cima do adversário.

Resumindo, não existe mais espaço para aquele jogador que tem um super forehand e no backhand só passa bolas, esses jogadores atualmente sofrem demais entre os profissionais. Um dos casos mais interessantes foi o suíço Roger Federer, que sempre teve um forehand espetacular, e um backhand bom, mas que se reinventou e agora tem no seu revés mais uma arma no seu arsenal. Há uns anos atrás assistir uma partida entre Federer e Nadal era ver o espanhol atacando com o spin o backhand do suíço e este se defendendo com slice, já nos últimos jogos o que se viu foi impressionante, o Federer simplesmente vai para cima e tenta enfrentar o spin pesado do Nadal com muita potência e variação.

Por fim, vamos lembrar de um cara que tinha um backhand fantástico, o eterno Gustavo Kuerten, que revolucionou o tênis e mostrou ao mundo esse estilo de jogo atual, onde você pode atacar com o 1hbh. Deem o PLAY e curtam esse gênio em quadra.

Como vemos, o backhand de uma mão ainda está vivo, e tem seus protagonistas na ATP.

Todo o conteúdo do blog é distribuído gratuitamente a única forma de manter o site é através de propagandas, portanto se gostou do artigo clique nos banners é ajude a manter o site no ar. Não esqueça de seguir os nossos perfis no instagram @tenis_lab e no twitter @blogtenislab!

Abraços e até o próximo post!

Deixe uma resposta

Translate »