Review: Wilson Pro Staff 97

Após uma pausa de alguns dias para curtir o natal em família, volto aqui para postar o review de uma das minhas apostas para 2016, a Wilson Pro Staff 97. Utilizei esta raquete por exatas duas semanas e, logo a seguir, apresento um pouco sobre as minhas impressões durante esse período.

Configuração utilizada no teste:

Corda: Pro’s Pro Blackout 50 Lbs
Overgrip: Yonex Supergrap
Peso final: 349g

Trocas de bola:

A Pro Staff 97 se comporta bem nas trocas de bola, ela tem uma boa manuseabilidade, excelente spin e bastante potência. A raquete é adequada para um estilo de jogo mais moderno, com bastante spin, e uma das coisas que mais gostei foi do peso que consegui imprimir na bola. Nas bolas chapadas (planas), senti um pouco de dificuldades de manter a bola na quadra, com uma leve perda de controle. Se você ver a raquete de frente, vai observar que o padrão de cordas é muito aberto, maior que o habitual nas raquetes 16×19.

Saque:

O saque é muito bom com a Pro Staff 97, a bola sai pesada e firme, me senti muito bem sacando com essa raquete. Os efeitos são excelentes, portanto temos um primeiro serviço potente e um segundo serviço com bastante efeito.

Retorno do saque:

No retorno do saque tive um mix de emoções, a raquete é manuseável e é boa nas trocas. Por outro lado, as bolas fora do centro (sweetspot) perdem muito em potência e controle, deste modo, se você acerta o sweetspot a sua devolução vai ser excelente.

Voleio:

Nos voleios foi a mesma impressão, ela é excelente para voleios no sweetspot, mas nas bolas fora do centro a raquete vibra demais e o golpe é prejudicado. Os voleios agressivos são excelentes, já nos bloqueios, senti um pouco de dificuldades.

Slice:

O slice nessa raquete é bom, este golpe clássico ficou um pouco alto (flutuando). Mas os slices ofensivos foram excelentes, efetivamente não penso que a Pro Staff 97 seja uma raquete para se defender, ela pede um jogo ao estilo do suiço Roger Federer, sempre atacando.

Conforto:

Bom, aqui tenho que parar e refletir, a raquete não é desconfortável (principalmente nas bolas no sweetspot ela reponde muito bem), mas nas bolas fora do centro as vibrações são elevadas. Ainda, o feel dessa raquete não me agradou, é um feel seco, o som é terrível. A Pro Staff 97 é uma raquete na qual eu não consegui jogar sem antivibrador, e olha que faz anos que eu não uso, acho que a última raquete que usei com antivibrador foi a Aeropro Drive. Portanto, meu veredicto é que o conforto é médio, mas um pouco abaixo da média para raquetes com esse peso.

Finalizando:

Essa é uma raquete moderna, moldada para jogadores que gostam de atacar, não é uma boa raquete para longas trocas ou para se jogar defensivamente. É uma raquete adequada para jogadores avançados, agressivos e com bom preparo físico. Se você joga ofensivamente e tem um nível de jogo bom, essa pode vir a ser uma boa raquete, principalmente devido à potência e ao spin que essa raquete proporciona, logo a Pro Staff 97 não é uma raquete recomendada para iniciantes.

Para facilitar a visualização, segue uma tabela com as notas:

Especificações da Wilson Pro Staff 97:

Tamanho da cabeça: 97″
Comprimento: 68,58 cm
Peso (encordada): 329 g
Equilíbrio: 7 HL
Swingweight: 320
Rigidez: 66
Espessura do aro: 21,5 / 21,5 / 21,5 mm
Nível de potência: Fraco
Estilo de swing: Longo
Velocidade do swing: Rápido
Padrão de cordas: 16 x 19

Observação: O grip utilizado na Wilson Pro Staff 97 parece ser um Leather Grip, mas é uma imitação do grip de couro. Devo dizer que engana no visual, mas ele é mais confortável e não marca tanto as quinas como um Leather Grip de couro legítimo. Outro item que eu não curti foi o peso da raquete, na minha balança a raquete pesou exatos 349 g, entretanto a raquete deveria pesar entre 336 g e 340g – eu não sei explicar de onde surgiram essas quase 10g.

Muito obrigado por acompanhar o blog TL e até o próximo review!

4 Comments

Deixe uma resposta

Translate »