Review: Yonex Vcore Tour G 310

Hoje vou falar de uma raquete que tem agradado vários jogadores, a Yonex Vcore Tour G 310, a Yonex vende a ideia de uma raquete de controle. E é o que ela entrega, é muito difícil encontrar a precisão da Tour G em qualquer outra raquete nessa faixa de peso. Raquetes com esse controle e estabilidade normalmente são mais pesadas. A seguir vou falar um pouco das minhas observações:

tourGFortesxFracos

Trocas de bola:

Vcore Tour G 310Uma das minhas primeiras impressões quando comecei a trocar bolas com a Yonex Vcore Tour G 310 foi a facilidade de direcionar a bola. Devo admitir que de início as minhas bolas ficaram curtas, mas aí foi só começar a soltar o braço que as coisas começaram a se encaixar, a raquete é confortável, o feel é excelente, mas é uma raquete exigente. Se você faz um bom swing, completo e rápido, a bola vai onde você quiser, simples assim.

Saque:

O saque é muito bom, como a raquete tem o peso deslocado para o cabo, acelerar a cabeça da raquete é fácil. Tanto o primeiro saque chapado como o segundo com efeito são bons. Acho que foi uma das melhores raquetes para o saque que usei nos últimos tempos. Foi extremamente fácil direcionar a bola, a Tour G parece bem mais leve do que é.

Retorno do saque:

No retorno do saque a raquete se comporta muito bem, tanto nos golpes mais colocados abrindo o ângulo, quanto nas bolas mais rápidas e explosivas. Você pode ser bem agressivo na devolução com a Tour G, a manuseabilidade e a precisão ajudam bastante.

Voleio:

A raquete tem um peso médio e é muito estável, portanto é boa de se voleiar. É uma excelente opção para jogadores que querem pegar uma raquete mais leve sem perder estabilidade ou para jogadores que pretendem subir um pouco do peso, mas tem medo de partir logo para uma raquete pesada.

Slice:

Gostei bastante do slice, é fácil direcionar a bola, entretanto devo destacar que foi preciso mudar um pouco meu movimento, fui obrigado a entrar mais na bola para executar um bom golpe. Depois desses ajustes o slice ofensivo ficou bom, nos slices defensivos o controle da raquete ajuda, mas o movimento tem que ser amplo.

Finalizando:

A Yonex Vcore Tour G 310 cumpre o que promete, ser uma irmã mais amigável da versão com 330g, penso que essa não é uma raquete para jogadores iniciantes, e talvez nem para intermediários, pois é uma raquete exigente. Para jogadores agressivos, a Tour G é uma arma fatal, seus golpes são precisos. Mas vou avisar, tem que ter braço! Pois é uma raquete que perdoa muito pouco, não falo em relação ao sweetspot que é bom, mas em relação a mecânica do golpe. Se você atrasar, a bola vai sair sem peso e provavelmente vai ficar na linha do T. Recomendo essa raquete para jogadores avançados agressivos que gostam de atacar, jogadores com estilo mais clássico (e avançado) também vão se dar muito bem com essa raquete, pois ela é estável e precisa.

Para facilitar a visualização, segue uma tabela com as notas:

notasTourG

Especificações da Yonex Vcore Tour G 310:

Tamanho da cabeça: 97″
Comprimento: 68,58 cm
Peso (encordada): 328 g
Equilíbrio: 7 HL
Swingweight: 317
Rigidez: 63
Espessura do aro: 20,5 mm
Nível de potência: Baixo
Estilo de swing: Longo
Velocidade do swing: Rápido
Padrão de cordas: 16 x 20

Você pode deixar suas dúvidas ou sugestões nos comentários. Abraços e até o próximo review!

Crédito das imagens das raquetes: Yonex.com

4 Comments

Deixe uma resposta

Translate »